Felipe F Falcão

Textos



Ultimamente eu não tenho dito que te amo
Eu tenho te dito ultimamente, que te amo?
Perdoe-me amor, não tem sido por querer
É que tenho pensado em tantas coisas...
 
Essa noite eu acordei, a insônia veio me visitar
Por mais que eu tentasse, o sono não voltou,
Então, eu acendi o abajur, fiquei ali a te olhar,
Você dormia como um anjo lindo...
 
Ao velar seu sono, eu chorei,
Baixinho eu quis dizer em seu ouvido,
Eu te amo, mas a voz não sauí...
Tremendo, eu beijei a sua face
 
Você virou para o lado e memorou,
-Eu também te amo amor,
Eu não suportei e te abracei forte.
 
Naquele momento eu acordei para a vida,
Naquele momento eu percebi,
Que você é a coisa mais importante em minha vida,
Naquele momento foi que me dei conta,
Como eu te amo,
o quanto sou feliz com você,
 
Abraçado a você, eu adormeci
Acordei com os pássaros cantando,
O sol adentrava pela janela,
Mas, você não estava ali, em meus braços
 
Foi um sonho, eu me perguntei...
Senti uma dor apertar-me o peito
Então você adentrou feliz a sorrir,
Dizendo que teve um sonho...
Nele eu te abraçava e dizia te amar
 
Então, com sofreguidão,
- eu te pedi perdão
Reafirmei a você o meu amor,
Disse nunca mais me esquecer de dizer que te amo
Pois, em meu peito você é rainha e sempre será,
Do amanhecer ao entardecer, enquanto eu viver



 
APENAS VOCÊ
 
Provoca essa loucura sem fim,
Trovejando juras majestosas...
Apenas você se põe tão gostosa,
Inflamando a paixão dentro de mim.
 
Sem limites entre paixão e amor,
A vida tomou posse da gente,
E faz do sentir, sua semente,
Que brota n’alma, seu esplendor.
 
Se com carinho, me abraça,
Minha tristeza rende-se à luz,
E sentindo leve, a nossa cruz,
Os obstáculos perdem a graça...
 
Eterno no tanto que Deus permita,
Esse amor há de nos conduzir...
E apenas pra você, hei de sorrir,
Mesmo que noutra vida, se repita...

 
Muito obrigado, nobre mestre Jacó Filho, por essa belíssima interação.
 



"TE AMO"
 
Permite-me te dizer "te amo"
em todos os instantes do teu viver,
pois, para mim,
és a paz do amor em cada anoitecer...
Desse amor teço, nas madrugadas,
o sorriso dos nossos amanheceres.
Cada alvorada prenuncia
o nascer de um novo dia
em que te direi "te amo"
como se fosse a primeira vez!
 
 
Muito obrigado, nobre poetisa Najet Cury por essa belíssima interação.


 
Felipe F Falcão
Enviado por Felipe F Falcão em 15/01/2017
Alterado em 14/02/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras