Felipe F Falcão

Textos


 

8
 
 
Estrutura difícil é a de um homem. Os pés precisam der fortes, de “concreto e se possível usinado”. É por isso que eu leio “e muito” o que acredito ter valor prático para o ser humano. Há sugestões que recebo de amigos que moram pelas cidades dos interiores. Aqui na capital, meu querer ficara só para mim e a outros personagens se for necessário, e ao obvio é claro. Mas como tudo o que se faz acreditando que está bem estruturado e belo na maioria das vezes, é só para si mesmo, no final sempre alguém põe algum tipo de defeito.

Não desejando desapontar a estes, leio e analiso para saber dizer se aprovo ou não, mesmo contra a minha vontade algumas sugestões publicadas em rádio, TV internet, jornais e revistas sensacionalistas. Vou também ao cinema, vejo televisão, ouço música e presto atenção em tudo o que vejo e ouço nas ruas. Não há no mundo alguém que viva sem algum tipo de informação, se imagine vendendo uma geladeira a um esquimó e verá.
 
***
Não sei onde você está agora ou quem você é, só sei que está tendo um querer também. Ma fique à vontade, a partir de hoje o querer e as possibilidades nos pertencem. Estou desenvolvendo o meu querer como num teatro transformado em hospital. O meu querer estará inicialmente deitado em uma mesa, sendo como que montado, operado, remontado se for preciso, estará sendo construído enfim. E, isso com o conteúdo de tudo o que eu tenho visto e aprendido em meus vários anos de idade com observação e pouco estudo vividos apenas em São Paulo. É pena que você não possa me ajudar com algumas sugestões também.

Meu aprendizado do mundo vem dos meus olhos e do cérebro que por mania analisa tudo o que vê, de uma pedra absolutamente imóvel a uma mosca pousada nela. Gosto de tudo que tem utilidade pública, de um bom dia que se dá a outras pessoas pela manhã com o desejo que ela passe o resto do dia bem, a uma enfermeira que aplica uma injeção em um paciente para cura-lo de uma gripe forte.

Feliz o homem que usar durante o dia pelo menos um dos seus cinco sentidos para fazer algo de bom aos outros, como sentir o cheiro de feijão queimando e avisar para a vizinha que está no portão conversando, perceber que o carro poderá atropelar a criança e segura-la pela mão ao atravessar a rua. De grande utilidade pública são também, sem dúvida nenhuma os meios de comunicação, principalmente o rádio, televisão e a internet, são todos de utilidade pública e vivem de nos dar sugestões e opiniões sobre como se pode viver mais e melhor.
 
***
“ Dentro de um querer pode haver de tudo, pode-se até reciclar muitas coisas. Construir um homem verdadeiro de carde e sangue, com o material disponível em São Paulo, será complicado. Estou pensando em iniciar pelos pés, e sei que a escalada será dura e inserta”.

Eu, como qualquer pessoa normal, “ se você concordar no final, eu espero”, veja TV, leio jornais, revistas, sinto frio, calor, dor, medo ou ódio. Conheço coisas pelo cheiro, tato, paladar e respiro montanhas e rio Tiete. Compro pela embalagem como quase todo mundo e como azeitonas enquanto ouço músicas. Gosto também de meditar de forma livre e quieta, assim como tu, ele, nós, vos e eles, quem não medita afinal? Muito poucos

Meu dia hoje não foi fácil com a decisão de ser honesto, se não possível com o mundo inteiro, pelo menos comigo mesmo. O sol já vai si por e eu vou mais uma vez ver a reprise da Éramos Seis e recorrer ao colo da dona Lola para equipar a consciência.


Continua...


 
Para ler o próximo capitulo, clik no titulo a frente: O CANINDÉ - O ÍNDIO QUE NEGOU O TEMPERO - 9-10 capítulo ( série romance
Felipe F Falcão e João Silva
Enviado por Felipe F Falcão em 15/01/2017
Alterado em 02/02/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras